Texto extraído de: Treino em Foco

 

Ao realizarmos atividades aeróbias o sistema cardiorrespiratório é constantemente exigido durante todo o período da atividade motora. Devido às necessidades energéticas elevadas durante o trabalho físico, a quantidade de oxigênio necessário para o processo energético corporal também será elevado, desta forma, aumentando a carga funcional sobre os sistemas que permitem o aumento de consumo de oxigênio.

 

Dentre as funções fisiológicas que aumentam a intensidade de seu trabalho durante a atividade aeróbia, o sistema ventilatório sofre carga funcional do trabalho físico. Assim, a absorção de oxigênio, em nível pulmonar, é elevado. Para o aumento da ventilação pulmonar (ampliando fase inspiratória e expiratória), a musculatura respiratória, em esforço, aumenta significativamente o seu trabalho contrátil.

 

Músculos inspiratórios como intercostais, esternoclideomastoide e principalmente diafragma apresentam trabalho contrátil intensificado; o mesmo acontecerá com os músculos expiratórios de esforço (oblíquos, transverso do abdômen e reto abdominal). Durante todo o tempo da atividade aeróbia, tanto músculos inspiratórios quanto os expiratórios estarão em elevada atividade contrátil, tanto em intensidade quanto em frequência. Sob tais condições, os músculos sofrem carga de treinamento configurando um trabalho de resistência muscular.

 

Diante desta análise, a prática freqüente de modalidades esportivas aeróbias produzirá cargas agudas de treinamento sobre a musculatura respiratória, o que irá produzir adaptações crônicas no sentido de elevar a resistência muscular localizada.

 

Se a atividade aeróbia for natação ou hidroginástica, a musculatura inspiratória poderá sofrer uma carga adicional quando do processo de ampliação pulmonar. Ao buscar expandir o tórax, e consequentemente os pulmões, a musculatura inspiratória sofre uma resistência adicional da pressão hidrostática, isto é, a água ao redor do tórax gera uma resistência adicional ao trabalho de expansão. Consequentemente, a musculatura respiratória estará exposta a cargas um pouco mais elevadas no meio líquido que em condições terrestres, tendendo a gerar adaptações crônicas mais intensas nesta musculatura.

 

Concluindo, indivíduos praticantes de atividades aeróbias de intensidade moderada a intensas apresentarão treinabilidade de seus músculos respiratórios.