Introdução:


Treinamento muscular inspiratório (TMI) já foi apontado como uma forma de melhorar o desempenho em nadadores de elite quando realizado como parte do treinamento de rotina , mas o TMI como  “aquecimento” (warm-up) ainda tem que ser investigado.

 

Acredita-se que o aquecimento (warm-up) promove melhora da performance atletica através de uma variedade de repostas fisiológicas, biomecânicas e bioquímicas. O perfil metabólico e a resposta de lactato podem ser alterados, destinando este tipo de exercício até para diminuição do riscos de injurias/ estresse causado por exercícos de alto rendimento.

 

O objetivo principal deste estudo foi  determinar a influência do exercício da musculatura inspiratória (EMI)  como  “aquecimento” (warm-up) em um estudo com desenho em cross-over, randomizado e  controlado.

 

Métodos:


N = 15 nadadores de elite todos da equipe de natação da Universidade de Loughborough (são os nadadores que representam a natação britânica em competições internacionais).

 

Genero =  9 do sexo masculino e 6 do sexo feminino.

 

Perfil = 3 especialistas em nado borboleta, 2 especialistas em peito (breaststroke), 3 especialistas em costas (backstroke) e 7 especialistas em nado livre (freestyle).

 

Treinamento:


Todo nadador participou de 4 semanas consecutivas de treinamento. Cada um deles participou dos 4 protocolos de aquecimento (warm-up), que foram realizados as tercas-feiras as 9 horas da manhã.

 

Desfecho primário:


100m de nado livre através do sprint time-trial após o treino de aquecimento em uma piscina de 25 metros.

 

Parâmetros avaliados:


  • Óxido nítrico exalado em 50 mL / s
  • Espirometria
  • Pressão inspiratória e expiratória máxima (cm H2O)
  • Lactato sanguíneo (lóbulo da orelha)
  • Frequencia cardíaca
  • Oximetria de pulso
  • Escala de dispnéia

 

Protocolos:


Protocolo 1: Padrão de natação, 2500 m, mistura de 4 tipos de nado.

 

Protocolo 2: Aquecimento com exercício da musculatura inspiratória. Utilizado powerbreathe com 40% da pressão inspiratória máxima, 2 x 30 repetições.

 

Protocolo 3: Soma do protocolo 1 + realização do powerbreathe a 15% da pressão inspiratória máxima (protocolo de EMI placebo).

 

Protocolo 4: Soma do protocolo 1 + protocolo 2.

 

Estatística:


Teste Anova

 

Resultados:


O protocolo 2 foi o que promoveu melhor resposta.