Texto extraído de: UOL

 

Thiago Pereira não queria nadar a distância, mas o técnico Albertinho convenceu o pupilo de que deveria participar dos 400 m medley no Mundial. E a insistência do treinador deu resultado. Medalhista de prata nas Olimpíadas de Londres-2012, o brasileiro conquistou o bronze em Barcelona na final disputada neste domingo.



Durante toda a semana, Pereira cogitou não participar da prova e optar por disputar o revezamento 4x100 m medley. Na véspera, porém, o brasileiro mudou de ideia e decidiu priorizar a competição individual, na qual fez o terceiro tempo com 4min09s48. A medalha de ouro ficou com o japonês Daiya Seto, que fez 4min08s69. A prata foi para o norte-americano Chase Kalisz, com 4min09s22.

 

"A grande verdade é que caí na prova para dar o melhor de mim e acabei conseguindo. Foi uma prova perfeita, muito bem nadada. Acho que o mais importante é que aguentei bem os últimos 100 m. Faltou um pouquinho para a prata, mas estou muito feliz com o resultado", disse Thiago Pereira, em entrevista ao Sportv.

 

E a vitória de Pereira foi conquistada com um bom desempenho justamente no estilo livre, em que sempre apresentou maiores dificuldades. Após passar em quinto no nado borboleta e completar o costas em quarto lugar, assumiu a terceira posição no peito, mas a consolidação da medalha ocorreu somente ao fazer a melhor parcial da carreira no livre.

 

Esta foi a segunda medalha de bronze conquistada por Thiago Pereira nas piscinas de Barcelona. O brasileiro já havia subido no pódio nos 200 m medley.

 

"Foi uma competição maravilhosa, consegui meu objetivo em Barcelona. Minha lesão no quadril me prejudicou um pouco, mas quando voltar ao Brasil eu explico tudo", comentou Pereira.

 

Outro brasileiro a cair na água em uma final neste domingo foi Daniel Orzechowski. Mais rápido das eliminatórias e quarto nas semifinais, não conseguiu repetir o bom desempenho e terminou apenas na sexta colocação, com o tempo de 24s87.



"Não foi para isso que vim até aqui não. Estava esperando um resultado melhor, mas infelizmente é isso aí. Prova rápida não tem muita explicação do que dar. A prova acabou sendo bem  forte, mas ficou aquele gostinho amargo de poder fazer um resultado melhor", afirmou o brasileiro, em entrevista ao Sportv.



A medalha de outro ficou com o francês Camille Lacourt, com 24s42. Seu compatriota Jeremy Stravius empatou em segundo lugar com  o norte-americano Matt Grevers. Ambos fizeram 24s52 e levaram a prata.