A nossa rotina no programa de reabilitação cardiorrespiratória nós temos utilizado treinamento muscular inspiratório (TMI), treinamento neuromuscular e treinamento cardiorrespiratório em esteira ou cicloergômetro.

 

Para tanto é necessário que o paciente utilize adequadamente seus medicamentos para que a reabilitação seja conduzida de forma segura e eficaz.

 

Especialmente pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) a utilização de corticoides inalatórios é fundamental para o sucesso do programa de reabilitação. A maioria dos fabricantes deste tipo de medicamento oferece apenas um tipo dispositivo no qual é necessário um pico de fluxo inspiratório por parte do paciente para que a droga atinja adequadamente as vias aéreas. Nós temos visto vários casos em que os pacientes estão tão debilitados que não conseguem gerar o fluxo que o medicamente seja absorvido. Quando isso ocorre, a reabilitação é comprometida e a adesão a esta terapêutica é prejudicada.

 

Relato de Caso


A paciente Zilda Pereira, 93 anos de idade, sexo feminino, cognitivo preservado, em uso de cadeira de rodas por fraqueza muscular e alto risco de queda. Por conta da sua fraqueza nos músculos inspiratórios a mesma se tornou incapaz de aspirar adequadamente o seu medicamento. A pressão inspiratória máxima (PImax) era de -36 cmH2O.

 

O treinamento muscular inspiratório (TMI) foi iniciado com o POWERBreathe (Plus Light e K5), utilizando 50% da PImax (17 cmH2O), 30 respirações, duas vezes ao dia, 7 dias por semana durante 6 semanas.

 

 

Após este período a paciente aumentou significativamente a PImax para (-48 cmH2O), um ganho de mais de 40% e isso promovem um ganho significativo no pico de fluxo inspiratório. Isso permitiu uma melhora na inalação do medicamento.

 

Portanto, nós temos utilizado o TMI da mesma maneira que está recomendado nos principais estudos, mas nós adicionamos um novo marcador que é o pico de fluxo inspiratório que nos oferta informações sobre a capacidade dos pacientes em inalar os seus medicamentos. Este parâmetro pode ser adquirido com o POWERBreathe K5.

 

 

Quando os pacientes estão bem medicados diminuem as chances de serem hospitalizados e ocorre um aumento da adesão ao programa de reabilitação cardiorrespiratório.